Exposição resgata histórias de mulheres Afro-Antilhanas pioneiras na educação em RO

Mostra segue em cartaz até 21 de agosto em Porto Velho. Úrsula Maloney em foto da exposição "Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar". Marcela Bonfim A exposição fotográfica "Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar" segue em cartaz até 21 de agosto no Mercado Cultural de Porto Velho. Ela apresenta ao público, a partir de fotografias de Luiz Brito, Marcela Bonfim e arquivos cedidos pelas famílias homenageadas, histórias de 17 mulheres que contribuíram para a estruturação da rede pública de ensino durante a expansão da cidade de Porto Velho. Exposição "Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar". Leandro Moraes/Prefeitura de Porto Velho "Ao tocarmos nas contribuições dessas mulheres afro-antilhanas, remontamos importantes impactos causados a partir desses corpos-imagens recém-chegados a Porto Velho. ​As populações afro-antilhanas cruzaram o norte do país, chegando em grande número em Rondônia, inclusive todos associados à imagem do "barbadiano", atualmente ressignificado pela historiadora, Cleide Blackman, como afro-antilhanos", explica a organização da exposição. A mostra faz parte das comemorações ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, celebrado em 25 de julho. VÍDEOS: veja mais notícias de Rondônia ​

Exposição resgata histórias de mulheres Afro-Antilhanas pioneiras na educação em RO

Mostra segue em cartaz até 21 de agosto em Porto Velho. Úrsula Maloney em foto da exposição "Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar". Marcela Bonfim A exposição fotográfica "Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar" segue em cartaz até 21 de agosto no Mercado Cultural de Porto Velho. Ela apresenta ao público, a partir de fotografias de Luiz Brito, Marcela Bonfim e arquivos cedidos pelas famílias homenageadas, histórias de 17 mulheres que contribuíram para a estruturação da rede pública de ensino durante a expansão da cidade de Porto Velho. Exposição "Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar". Leandro Moraes/Prefeitura de Porto Velho "Ao tocarmos nas contribuições dessas mulheres afro-antilhanas, remontamos importantes impactos causados a partir desses corpos-imagens recém-chegados a Porto Velho. ​As populações afro-antilhanas cruzaram o norte do país, chegando em grande número em Rondônia, inclusive todos associados à imagem do "barbadiano", atualmente ressignificado pela historiadora, Cleide Blackman, como afro-antilhanos", explica a organização da exposição. A mostra faz parte das comemorações ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, celebrado em 25 de julho. VÍDEOS: veja mais notícias de Rondônia ​